Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Depressão Psicótica: Culpa e Hipocondria 

Depressão psicótica é um transtorno depressivo de maior complexidade e de manejo mais difícil que outros tipos de depressão.

Ela ocorre em cerca de 15% dos casos de depressão, e pode ser considerada uma manifestação mais grave que a depressão não psicótica.

depressão psicótica

A depressão psicótica se distingue da depressão não psicótica pois além do humor deprimido, definido por tristeza intensa e perda do prazer em tudo ou quase tudo, manifesta sintomas que ocorrem nos transtornos psicóticos.

Sintomas como alucinações, delírios, solilóquios e mussitação, hipocondria e risco de suicídio maiorque levam a uma necessidade de intervenção imediata.

A depressão psicótica é uma forma grave de depressão

Suas manifestações clínicas incluem:

Delírios: são alterações do conteúdo do pensamento que ocorrem com frequência na esquizofrenia e no transtorno delirante.

Trata-se de ideias cujo conteúdo não é compartilhado pelas outras pessoas. Por exemplo, alguém que afirma ser um novo Cristo que tem uma missão a realizar.

Eles também ocorrem na depressão psicótica, mas diferem dos outros delírios por seus conteúdos mais compreensíveis, mais maleáveis.

Abaixo, encontram-se exemplos de  delírios que ocorrem na depressão psicótica.

  • Culpa: uma mulher que se culpa, por exemplo, de ter sido uma péssima mãe (sem que isto tenha de fato ocorrido)
  • Ruína: ideias de ter perdido tudo, dinheiro, amigos, trabalho
  • Punição: a pessoa tem uma crença de esar sendo punida
  • Morte: alguém que acredita estar morto
  • Pessimismo, negativismo
  • Hipocondria: ideias de estar com uma doença incurável, apesar de o médico não confirmar estas ideias, e de os exames estarem normais.

Há casos extremos de delírios hipocondríacos em que a pessoas acredita que seus órgãos internos como fígado, intestinos, baço, etc estão apodrecendo.

Este quadro é conhecido como Síndrome de Cotard.

As alucinações se caracterizam pela percepção sem que haja um objeto real objeto. Podem ser, sobretudo.

depressão psicótica

  • Auditivas: a pessoa ouve vozes de caráter acusatório, sem que haja ninguém por perto
  • Visuais: visões de pessoas mortas ou dele mesmo, morto sem que haja qualquer indício na realidade.

Ilusões também podem estar presentes na depressão psicótica, e se caracterizam pela falsificação da percepção de um objeto real (ex: ao ver um cobertor e um travesseiro no sofá da sala, acreditar que é seja uma pessoa)

Solilóquios caracterizam-se pelo comportamento de falar sozinho e a mussitação, por murmurar sozinho.

Ambos são indícios claros de que a pessoa esteja ouvindo vozes, caracterizando assim as alucinações auditivas.

Se eu estiver com sintomas de depressão psicótica, o que devo fazer?

Procurar, sem maiores delongas, um psiquiatra, por se tratar de um problema grave de saúde mental.

Os antidepressivos são usados no tratamento da depressão psicótica, muitas vezes associados a drogas antipsicóticas, dependendo da gravidade dos delírios e/ou alucinações presentes no quadro clínico.

A psicoterapia é útil juntamente com os outros tratamentos citados acima. Jamais isoladamente.

Nos casos em que a gravidade é extrema, a eletroconvulsoterapia torna-se necessária.

Uma internação muitas vezes  torna-se imprescindível, sobretudo quando há ideação ou planos de cometer suicídio.

***

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

Sinais de Depressão


Os sinais de depressão são praticamente inconfundíveis. Entretanto, alguns deles tem um peso maior no seu diagnóstico:

  • A tristeza intensa, profunda e duradoura
  • A perda do prazer em tudo ou quase tudo que habitualmente leva ao prazer. Conhecida como anedonia

Sinais de Depressão

Estes dois sintomas compõem o humor deprimido e pelo menos um deles deve estar presente no diagnóstico da depressão.

Depois de sabermos sobre estes sinais de depressão, vamos aos outros sintomas que devem aparecer em uma proporção menor.

De qualquer modo, a Classificação  Internacional de transtornos mentais define que além dos dois sintomas já citados,  pelo menos três dos sintomas abaixo também devem estar presentes:

  • Perda ou ganho significativo de peso sem estar fazendo dieta (ex. uma alteração de mais de 5% do peso corporal em um mês), ou redução ou aumento do apetite quase todos os dias. (Em crianças, considerar o insucesso em obter o ganho de peso esperado.)
  •  Insônia ou hipersonia quase todos os dias.
  • Agitação ou retardo psicomotor quase todos os dias (observáveis por outras pessoas, não meramente sensações subjetivas de inquietação ou de estar mais lento).
  • Fadiga ou perda de energia quase todos os dias.
  • Sentimentos de inutilidade ou  de culpa excessiva ou inapropriada (que podem ser delirantes) quase todos os dias (não meramente autorrecriminação ou culpa por estar doente).
  • Capacidade diminuída para pensar ou se concentrar, ou indecisão, quase todos os dias (por relato subjetivo ou observação feita por outras pessoas).
  • Pensamentos recorrentes de morte (não somente medo de morrer), ideação suicida recorrente sem um plano específico, uma tentativa de suicídio ou plano específico para cometer suicídio.

Pelo menos um destes dois sinais de depressão devem estar presentes para que seja considerada uma síndrome depressiva:  tristeza profunda e perda do prazer em todas ou quase todas as coisas normalmente dão prazer

Outros sinais de depressão

  • Apatia ou indiferença
  • Idéias de morte ou de suicídio ou planos suicidas
  • Vontade de sumir
  • Insônia ou excesso de sono (hipersonia)
  • Inapetência
  • Emagrecimento
  • Lentidão
  • Desinteresse

Sinais de Depressão

Importante: ao perceber que uma pessoa próxima mudou seu jeito de ser, está mais calada, parecendo triste ou irritada, ou devagar, desinteressada ou apática, procure ajudar. Esta pessoa pode estar deprimida.

Os sintomas devem causar sofrimento significativo ou prejuízo em ao menos uma das áreas importantes da vida da pessoa

Nunca houve um episódio de euforia do transtorno bipolar

É comum haver transtornos associados comórbidos, que complicam a evolução e dificultam o tratamento.

Entre eles temos: transtornos de ansiedade

Abuso e dependência de álcool e drogas

Importante lembrar que uma pessoa gravemente deprimida pode pensar em cometer o suicídio ou tentar de fato

A ajuda especializada do psiquiatra é fundamental.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

Transtorno de Humor: Labirinto de Emoções

O que é um transtorno de humor? Transtorno de humor é um estado em que funções psíquicas como o humor, emoções, sentimentos e afetos encontram-se alterados.

transtorno de humortranstorno de humor

Alguns exemplos:

  • Humor triste ou deprimido ou irritável: é o tonus afetivo basal
  • Sentimentos de tristeza ou de euforia: são mais duradouros
  • Emoções como choro, gritos: são de duração mais curta
  • Afetos: são modos pelos quais se expressam os sentimentos. Por exemplo, carinho

Alguns transtornos de humor produzem acentuadas alterações na esfera afetiva.

E geram irritabilidade, hostilidade e humor deprimido.

É o caso do transtorno afetivo de humor bipolar, que além das alterações do humor, sentimentos e afetos, pode apresentar alterações do pensamento.

Com idéias de grandeza ou de ruína,  constituindo um delírio.

No transtorno de humor bipolar, as idéias de grandeza estão presentes na fase de euforia e as idéias de ruína, na depressão

Na esfera volitiva, a esfera das ações, da vontade e da iniciativa, ocorre por vezes a hostilidade com liberação de impulsos agressivos.

Na depressão, além do humor deprimido, que é a perda do prazer em todas ou quase todas as situações que dão prazer,  a vontade e a iniciativa estão muito comprometidos.

Na euforia do transtorno bipolar, o humor é alegre, mas pode ser também irritável.

A impulsividade encontra-se aumentada e a necessidade de sono acentuadamente diminuída. A noção de perigo encontra-se diminuída.

transtorno de humor

A depressão e a euforia são vistos, de um modo geral, como dicotômicas. Quando uma está presente, a outra encontra-se ausente.

Entretanto, encontram-se descritos na literatura médica, os estados mistos de euforia e depressão.

São estados em que a euforia ocorre simultaneamente com a depressão, ou que se alternam ao longo de um mesmo dia.

Isto causa acentuada instabilidade entre as pessoas que apresentam estes estados.

Mesmo porquê algumas vezes estes estados se tornam psicóticos.

O que fazer com um transtorno de humor?

A dica é procurar imediatamente um psiquiatra, para que o diagnóstico correto seja feito e o tratamento iniciado sem maiores delongas.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

Ansiedade, Insonia e Depressão

Esta tríade, ansiedade, insônia e depressão, frequentemente caminha unida. São sintomas comuns e estão muito interrelacionados uns com os outros.

insônia

Por exemplo, tanto na ansiedade como na depressão, ela está presente.

A ansiedade pode desencadear sintomas depressivos e a depressão pode apresentar sintomas de ansiedade.

No entanto, quando juntos podem trazer um sofrimento acentuado para quem os experimenta.

Em alguns transtornos é possível se observar a ocorrência de ansiedade, insônia e depressão concomitantemente

insônia

  • Depressão ansiosa: neste transtorno os sintomas depressivos predominam.

Mas são acompanhados de sintomas de ansiedade, como ataques de pânico, fobias, sintomas de ansiedade generalizada e também de insônia.

  • Em algumas pessoas que sofrem de transtornos de ansiedade – transtorno de pânico, transtorno de ansiedade generalizada, estresse agudo e fobias específicas, é comum um quadro de depressão se instalar, juntamente com problemas para dormir.
  • Pessoas que não conseguem dormir,  frequentemente apresentam sintomas de ansiedade e depressão.

Sintomas de depressão: tristeza, perda do prazer, desânimo, falta de vontade, falta de concentração, prejuízo da memória, falta de energia.

Sintomas de ansiedade: medo, apreensão, irritabilidade, esquiva, preocupação excessiva, tensão.

Tanto na ansiedade como na depressão a insônia surge como um sintoma, embora em alguns tipos de depressão ocorra a hipersonia – dormir demais.

Quando está presente a insônia, na ansiedade ela costuma ser do tipo dificuldade para pegar no sono.

insônia

Ou mesmo os despertares frequentes durante a noite.

Na depressão, o que ocorre é o despertar precoce, no qual a pessoa acorda de madrugada e não consegue mais dormir.

Mas quando temos estados mistos de depressão e ansiedade, um tipo misto de insônia pode ocorrer, com despertares frequentes e dificuldade para pegar no sono.

Nestes casos de depressão e ansiedade com insônia,muitas vezes vale a pena o uso de antidepressivos, sempre prescritos por um médico, com propriedades sedativas para facilitar o sono e diminuir o sofrimento.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

Sintomas de depressão

Os sintomas de depressão maior (unipolar) encontram-se descritos no DSM-5, uma das classificações internacionais de transtornos mentais, e são utilizados como critérios para o diagnóstico dos diversos transtornos depressivos.

Sintomas de depressão maior unipolar ou critérios usados para se fazer o seu diagnóstico, de acordo com o DSM-5

sintomas de depressão

Critérios Diagnósticos

A. Cinco (ou mais) dos seguintes sintomas estiveram presentes durante o mesmo período de duas semanas.
E representam uma mudança em relação ao funcionamento anterior.

Pelo menos um dos sintomas é:

  • Humor deprimido ou
  • Perda de interesse ou prazer.

Estes dois sintomas são considerados sintomas nucleares da depressão maior. Sem a presença de pelo menos um deles, o diagnóstico de depressão maior unipolar não pode ser feito

1. Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos os dias, conforme indicado por relato subjetivo (p. ex., sente-se triste, vazio, sem esperança) ou por observação feita por outras pessoas (p. ex., parece choroso).  Em crianças e adolescentes, pode ser humor irritável.

2. Acentuada diminuição do interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades na maior parte do dia, quase todos os dias (indicada por relato subjetivo ou observação feita por outras pessoas).

.

Sintomas Secundários

3. Perda ou ganho significativo de peso sem estar fazendo dieta (p. ex., uma alteração de mais de 5% do peso corporal em um mês), ou redução ou aumento do apetite quase todos os dias.

4. Insônia ou hipersonia quase todos os dias.

5. Agitação ou retardo psicomotor quase todos os dias (observáveis por outras pessoas, não meramente sensações subjetivas de inquietação ou de estar mais lento).

6. Fadiga ou perda de energia quase todos os dias.

7. Sentimentos de inutilidade ou culpa excessiva ou inapropriada (que podem ser delirantes) quase todos os dias (não meramente autorrecriminação ou culpa por estar doente).

8. Capacidade diminuída para pensar ou se concentrar, ou indecisão, quase todos os dias.

9. Pensamentos recorrentes de morte, ideação suicida recorrente, tentativa de suicídio ou plano específico para cometer suicídio.

B. Os sintomas causam sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

C. O episódio não é atribuível aos efeitos fisiológicos de uma substância ou a outra condição médica.

D. A ocorrência do episódio depressivo maior não é mais bem explicada por outros transtornos mentais.

Sintomas de depressão maior: considerações sobre o risco de morte

sintomas de depressão O suicídio encontra-se entre as cinco causas de morte entre jovens no mundo.

É fundamental que familiares, ao perceberem que um filho apresenta sintomas de depressão maior, não deixem que este quadro se arraste, aumentando assim o risco de suicídio.

Existem formas de prevenção.

Ainda não dispomos de prevenção primária para impedir a eclosão da depressão, como por exemplo uma vacina.

Mas a prevenção secundária pode ser de grande valia, e se dá através do diagnóstico precoce e do tratamento imediato, o que melhora muito o prognóstico.

O que não se pode fazer, de jeito nenhum, é acusar o deprimido de preguiçoso, vagabundo e fraco, e dizer a ele que precisa ter força de vontade.

A depressão já deixa o seu portador sem vontade de nada.

Isto só piora as coisas e ainda pode encurtar a vida dele.

Ao invés da postura agressiva e acusatória, ajude-o a buscar ajuda especializada.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!

tito paes de barros neto

 

Angústia: aperto no peito e sufoco

angústiaAngústia. É como um peso enorme esmagando o seu peito. Você não consegue respirar direito’sentindo-se sufocado.

Algo pode o estar preocupando.

Algo relacionado à sua saúde.

Um frio por dentro toma conta do seu ser e a vontade que dá é a de correr sem parar.
E deixar tudo isso bem longe de você.

Talvez  um sentimento de medo, voltado para o futuro? Isso poderia ser ansiedade.

No entanto, muitas pessoas que se encontram deprimidas também se queixam de angústia.

A associação entre esta última e depressão é muito vista em consultórios de psiquiatras.

Frequentemente os termos angústia e ansiedade são usados indistintamente, isto é, como sinônimos, apesar de ser possível a distinção entre eles.

 Mas, de verdade são conceitos distintos.

Angústia e ansiedade

Se de um lado, o conceito de ansiedade aborda a questão de ser uma emoção complexa, que traz junto a si o medo e que, entre outras características, é voltada para o futuro, a angústia, por seu lado é um fenômeno psíquico que diz respeito ao presente.

Além disso, sentimentos de vazio são frequentemente descritos por aqueles que se encontram angustiados.

Algumas vezes, angústia e ansiedade são confundidos.
Mas pode-se dizer que sintomas de ansiedade e depressão também se confundem.
Isto ocorre por haver uma interface entre sintomas de ansiedade e depressão.

Por exemplo, a insônia pode ser sintoma tanto de ansiedade quanto de depressão.

Diagnóstico e tratamento

Ao perceber que está com sintomas de angústia e nunca esteve em um médico, procure um clínico ou um cardiologista para descartar um problema físico que possa estar acontecendo.

Se a avaliação clínica for negativa, procure um psiquiatra.

Alguns antipsicóticos atípicos (de gerações mais recentes), antidepressivos e calmantes da classe dos benzodiazepínico  podem melhorar sensivelmente os sintomas de  angústia; e os de depressão também.

Lembrando que os benzodiazepínicos podem levar à dependência química e ao prejuízo da memória; sobretudo para fatos recentes.

A psicoterapia pode ser  de grande ajuda, sobretudo a terapia cognitivo-comportamental, que vai trabalhar mudanças nos pensamentos negativos, mudanças no comportamento e o desenvolvimento de um repertório maior de habilidades.

angústia

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais e ajude a levar informação relevante a quem realmente precisa delas.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!

tito paes de barros neto

Transtorno bipolar: a montanha russa

O que é Transtorno Bipolar?

Transtorno Bipolar – Muito se tem falado sobre isso nos últimos tempos.

Na verdade é um assunto que permeia as rodas de amigos, é foco de piadinhas entre eles.

Como por exemplo, Amigo, você está parecendo bipolar.

A questão é que para quem sofre de transtorno bipolar, este é um assunto que envolve muito sofrimento.

E as piadas deixam de ter graça.

O diagnóstico do transtorno bipolar é difícil de ser realizado.

transtorno bipolar

A prova disso é o fato de haver muitos estudos mostrando que os pacientes fazem verdadeiras peregrinações por consultórios  psiquiátricos até receberem o diagnóstico correto

Só que isto pode levar anos

Um dos estudos afirma que o diagnóstico do transtorno bipolar leva em média 10,5 anos para ser feito.

É o polimorfismo sintomático deste transtorno que torna o seu diagnóstico tão difícil de ser feito.

E nas peregrinações que os pacientes fazem pelos consultórios, recebem o outros diagnósticos.

Entre eles de depressão unipolar, transtornos de ansiedade e depressão e transtornos de personalidade.

Uma das ocorrências mais comuns entre os pacientes é a ausência de melhora com o tratamento.

Muito provavelmente devido ao diagnóstico equivocado.

Mania, hipomania e depressão

Mania é um estado de euforia, agitação, grande aumento nas atividades, muitas vezes sem direcionamento.

A irritabilidade, diminuição do número de horas de sono, pressão por falar são típicas

Impulsividade aumentada para gastos é quase marca registrada.

E pode levar à grandes endividamentos

O comportamento sexual do bipolar é de risco, e pode chegar à promiscuidade.

Mas há também impulsos aumentados no comportamento de beber e também no uso de drogas.

Estas características podem ser acompanhadas de sintomas psicóticos, como delírios e alucinações.

O quadro da hipomania acima tem manifestações menos exuberantes, a ponto de ser confundido com um bem estar maravilhoso.

Um bipolar que tenha um quadro de mania, é um bipolar tipo I. Se ele tiver hipomania, o diagnóstico será de transtorno bipolar tipo II.

Veja o vídeo abaixo com Richard Gere representando um paciente em mania

Estados mistos do transtorno bipolar

Não raro é observarmos um contingente de apresentações do transtorno bipolar que dificultam muito o tratamento: são os estados mistos, que aparecem citados abaixo.

  • Mania mista: estado de mania em que o paciente apresenta sintomas depressivos ou ansiosos concomitantes
  • Depressão agitada: depressão em que a pessoa está com o humor deprimido, tristeza, mas ao invés de ficar prostrado na cama, mostra-se extremamente agitado
  • Mania com empobrecimento intelectual
  • Estupor maníaco: a depressão é grave a ponto de a pessoas ficar parada sem qualquer movimento, porém  apresenta intensa aceleração psíquica

Tratamento do transtorno bipolartranstorno bipolar

O tratamento do transtorno bipolar depende  de Continue a ler

O que é depressão unipolar

O que é depressão unipolar?

o que é depressãoAo contrário da depressão bipolar, em que fases de depressão e euforia estão presentes,a depressão unipolar caracteriza-se pela presença de fases somente depressivas.

Os sintomas nucleares apresentados por quem sofre deste tipo de depressão são: humor deprimido, caracterizado por tristeza intensa, profunda e duradoura e anedonia, que se caracteriza pela perda do prazer em todas ou quase todas as coisas que levam ao prazer .

A tristeza patológica ou a anedonia são sintomas que devem estar presentes para que o diagnóstico possa ser feito.

Há outros sintomas que fazem parte do quadro da depressão unipolar, mas não são exclusivos da depressão.

Estes podem ocorrer nos transtornos de ansiedade são: insônia ou sonolência excessiva, dificuldade para se concentrar, fadiga e irritabilidade.

Estes, como já foi visto no post Tipos de depressão e ansiedade, são sintomas comuns à depressão e à ansiedade.

Parece confuso?

Talvez seja mesmo.

principalmente quando sintomas de ansiedade são trazidos à tona: medo, apreensão preocupação excessiva, difícil de afastar da mente, inquietação.

Mas, afinal de contas, o que é depressão unipolar?

Quando alguém me pergunta o que é depressão unipolar eu geralmente respondo que é uma síndrome cujos sintomas principais são tristeza ou anedonia e que um desses deve obrigatoriamente estar presente no quadro clínico da depressão unipolar.

Os outros sintomas são acessórios e não tomam necessariamente parte do diagnóstico da depressão unipolar, embora facilitem a compreensão do seu quadro clínico.

o que é depressão

Tratamento farmacológico da depressão unipolar

O tratamento medicamentoso é feito com algumas classes de antidepressivos:

  • que Inibidores seletivos de recaptação da serotonina (ISRS): Prozac, Aropax, Zoloft, Escitalopram, Luvox
  • Inibidores de recaptação da serotonina e do noradrenalina (IRSN): Efexor, Pritiq, Cymbalta,
  • Multimodal: Brintellix
  • Tricíclicos: Tofranil, Anafranil, Pamelor, Tryptanol
  • Inibidores da monoaminoxidase (IMAO): Parnate, Aurorix
  • Atípicos: Remeron, Donaren,

São muitos os antidepressivos, embora nenhum deles seja perfeito.

Resposta terapêutica parcial, ausência de resposta e dificuldade para tolerar os efeitos colaterais são algumas de suas limitações.

Portanto não se deve limitar o tratamento para a depressão (unipolar) exclusivamente aos antidepressivos.

A terapia cognitiva é a abordagem psicoterápica que traz os melhores resultados no tratamento da depressão unipolar

Sobretudo  quando associada ao tratamento medicamentoso com os antidepressivos.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais e ajude a levar informações relevantes a quem realmente precisa delas.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!!

tito paes de barros neto

Depressão bipolar: clínica e tratamento

Depressão bipolar: características clínicas

Depressão bipolar é um grave problema de saúde mental

Ela difere da depressão unipolar por apresentar alternância com os estados de mania ou hipomania, que são estados opostos ao da depressão unipolar.

Falta de energia e lentificação são bem mais intensas que as da depressão unipolar.

depressão bipolarAlém disso, a depressão bipolar difere também da depressão unipolar por apresentar um início do quadro clínico mais precoce e mais abrupto, maior número de fases de depressão

O arrependimento pelas coisas feitas nas fases de mania ou de hipomania é bem característico.

A acentuada sensibilidade à rejeição é uma característica que ocorre com frequência.

Causas da depressão bipolar

A causa mais provável deste tipo de depressão é a genética.

No transtorno bipolar, observa-se que é alta a frequência de transtorno bipolar entre os seus familiares.

Isto se dá sobretudo em parentes de primeiro grau, o que não ocorre em portadores de depressão unipolar.

Outras características

É preciso uma certa parcimônia para se entender o que é a depressão bipolar.

Trata-se da fase depressiva que ocorre no transtorno bipolar.

A depressão bipolar também difere bastante da depressão mista.

Nesta, os sintomas de depressão e de euforia ocorrem concomitantemente, ou no mesmo dia.

O diagnóstico é feito basicamente pela presença de sintomatologia  depressiva um alguém que seja portador de transtorno bipolar

O risco de suicídio é maior naquele que sofre de depressão bipolar comparado àquele com depressão unipolar.

Isto pode ocorrer pelo contraste que existe entre alguém que se encontrava em um estado de euforia e depois deprimiu.

A dor do bipolar é maior pois o sentimento de perda que ocorre quando cessa a euforia e vem a depressão é grande.

Tratamento da depressão bipolar

depressão bipolar

O tratamento da depressão bipolar é mais difícil de ser feito, uma vez que a resposta terapêutica é pior quando comparada ao tratamento de outras depressões.

De qualquer modo, existem linhas terapêuticas em que antidepressivos são associados a estabilizadores de humor, que podem ser o Carbolitium, os anticonvulsivantes (Lamictal, Depakote) ou os antipsicóticos atípicos (Seroquel e Zyprexa).

O uso de antidepressivos isoladamente não propiciam boa resposta terapêutica

E aumentam o risco para a eclosão da mania ou hipomania.

No tratamento da depressão bipolar deve-se procurar um psiquiatra com experiência no tratamento de pacientes com transtorno bipolar.

Desta forma, as chances de êxito aumentam muito.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais e ajude a levar informações relevantes a quem realmente precisa delas.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!!

tito paes de barros neto

Tipos de depressão e ansiedade

Tipos de depressão

Vários tipos de depressão encontram-se descritos na literatura médica.

A depressão maior é um deles, mas pode ser considerada uma síndrome comum a vários outros tipos de depressão.

Estes serão abordadas neste artigo. Os sintomas encontrados com frequência são:

Humor deprimido

Irritabilidadetipos de depressão

Perda de interesse nas atividades do dia a dia

Perda da capacidade de sentir prazer (Anedonia)

Sentimentos de desvalorização ou de culpa excessiva

Isolamento social

Dificuldade para se concentrar

Perda de energia

Ideias de morte ou de suicídio

insônia ou hipersonia

Aumento ou diminuição de peso

Agitação ou inibição psicomotora

Tipos de depressão e sintomas de ansiedade 

É importante frisar que sintomas de ansiedade com frequência estão presentes nos diversos tipos de depressão, como o medo, a inquietação, preocupação, ataques de pânico, e mais: muitos sintomas são comuns à ansiedade e à depressão, entre eles:

  • Insônia
  • Irritabilidade
  • Falta de concentração
  • Fadiga

Interface entre depressão e ansiedade

Existe uma interface entre sintomas de depressão e de ansiedade. Veja a figura abaixo.

Ambas constituem universos próprios, porém bem próximos um do outro e, por vezes, mesclados entre si.

A evidência mais clara da proximidade desses dois universos é o fato de que tanto os transtornos de ansiedade como os diversos tipos de depressão são tratados com antidepressivos e pode-se dizer que a resposta terapêutica é positiva em ambos os casos.

.

tipos de depressão

 

Neste gráfico temos sintomas que estão presentes apenas na depressão (tristeza, perda do prazer, desânimo). E outros que são característicos da ansiedade (medo, apreensão, preocupação) e outros que são comuns à ansiedade e à depressão (área destacada).

Tipos de depressão

  • tipos de depressão Depressão unipolar: neste tipo de depressão, os sintomas são apenas os de depressão, mas podem estar presentes sintomas de ansiedade.

Os sintomas nucleares de depressão são o humor deprimido, caracterizado por tristeza intensa e duradoura e a perda do prazer em todas ou quase todas as coisas que propiciam prazer.

  • Depressão bipolar: aqui a falta de energia e a lentificação aparecem junto aos outros sintomas de depressão.

Neste tipo de depressão os episódios de mania e hipomania estão presentes e se alternam com os de depressão.

O início’do quadro é mais precoce e costuma ser abrupto. Os episódios mais frequentes.

O arrependimento pelo que fez nos episódios de mania ou de hipomania é constante e a sensibilidade à rejeição é acentuada.

  • Depressão mista: sintomas de depressão e de euforia são encontrados concomitantemente ou ao longo do mesmo dia.
  • Depressão psicótica: alucinações e delírios estão presentes.
  • Depressão pós-parto: ocorre em um curto período após o nascimento do bebê.
  • Depressão ansiosa: um tipo de depressão que se encontra em comorbidade com um transtorno de ansiedade, podendo manifestar-se com ataques de pânico, inquietação, preocupação e medo.

Outros tipos menos conhecidos do público

  • Transtorno misto ansioso e depressivo: sintomas de depressão e ansiedade estão presentes na mesma pessoa, na mesma proporção, porém não é possível se fazer um diagnóstico de transtorno depressivo. Ou mesmo de transtornos de ansiedade pois os sintomas não satisfazem os critérios diagnósticos para um ou para o outro.
  • Depressão atípica: tipo de depressão em que há inversão de alguns sintomas, como hipersonia (dormir demais), hiperfagia (apetite aumentado), piora dos sintomas ao entardecer, sensibilidade aumentada à rejeição, sensação de peso aumentado nos braços e pernas, dificuldade para manter relacionamentos amorosos, esquiva de relacionamentos por medo da rejeição, reatividade do humor: quando tudo melhora, o humor também melhora e vice-versa.
  • Depressão sazonal: ocorre apenas em determinados períodos do ano, por exemplo, no inverno quando os dias ficam mais curtos e se dispõe de um período mais breve de luz.
  • Distimia: depressão de evolução crônica, em que a irritabilidade predomina sobre a tristeza.

A importância desta classificação é que em alguns casos, a resposta à terapêutica em determinado tipo de depressão é melhor com determinada conduta do que com outra.

Por exemplo, na depressão atípica a resposta costuma ser melhor quando a pessoa submete-se a uma psicoterapia.

Na depressão ansiosa é melhor se prescrever antidepressivos com propriedades sedativas.

A importância de se conhecer os tipos de depressão reside no fato de que alguém possa reconhecer-se em uma ou mais dessas síndromes.

E a partir daí buscar ajuda especializada, de preferência com um psiquiatra.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais e ajude a levar informações relevantes a quem realmente precisa delas.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!!

tito paes de barros neto