Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Psiquiatra empatia e ansiedade

PsiquiatraPsiquiatra não é alguém que apenas prescreve medicamentos controlados em seus receituários branco, azul e amarelo.

Ele  pode e deve ir muito além disso ao estabelecer  um vínculo de confiança com seus pacientes, podendo ser, inclusive, se tiver formação para tanto, o terapeuta desses pacientes.

Embora um psiquiatra não seja, necessariamente um terapeuta, ele pode escolher a psicoterapia como mais uma ferramenta com a qual poderá ajudar os seus pacientes.

Para isso, ele deve ser dotado de uma característica que será vista agora.

 O psiquiatra e a empatia

PsiquiatraQuando um paciente chega ao consultório de um psiquiatra, ele se encontra aflito, angustiado.

E necessita de alguém que possa compreender como ele se sente, que esteja em sintonia com as suas questões mais cruciais.

Infelizmente não é sempre assim que as coisas ocorrem.

Queixas do tipo “Enquanto eu explicava o meu problema para ele, ele não me olhou um instante sequer.”

“O tempo todo seu olhar se dirigia para a tela do computador.”

O que aconteceu nesse atendimento foi uma acentuada falta de sintonia do profissional com o paciente.

O que reflete sua incapacidade de se colocar no lugar do paciente para saber como ele se sente, o quão angustiado ele se encontra.

Outra manifestação deste comportamento do psiquiatra poderia ser a constante interrupção do paciente desviando o cerne para outra questão.

Por exemplo, enquanto ele falava da dor de sua separação da esposa, o psiquiatra o interrompia indagando sobre medicamentos já utilizados por ele.

Quando a empatia mora longe

A esta dificuldade de se colocar no lugar do paciente, ele o seu problemas, chamamos de falta de empatia.

Esta habilidade não nasce com a pessoa.

Ela se desenvolve ao longo da vida sendo determinada pela aprendizagem social.

E pode se instalar sobretudo com o que se aprende com os pais.

E mais, pode ser desenvolvida com treinamento específico, isto é, aprendida mais tardiamente.

A empatia não é atribuição exclusiva do psiquiatra.

Ela é muito útil na vida como um todo, levando a um degrau a mais na vida delas.

Quanto ao psiquiatra, pode haver considerável redução da ansiedade de seus pacientes se ele for empático.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais.

E ajude a levar informações relevantes a quem realmente precisa delas.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!!

tito paes de barros neto