Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Esquizofrenia paranóide: desconexão do eu

Esquizofrenia paranóide é uma doença mental grave. É um dos subtipos das psicoses esquizofrênicas. Os outros subtipos são o simples, o hebefrênico e o catatônico.

Dentre eles, a esquizofrenia paranóide é a mais florida, isto é, a mais rica em sintomas, com um quadro clínico repleto de alterações da percepção, do pensamento e da linguagem.

Entre as alterações do pensamento, temos as de forma e as de conteúdo.

esquizofrenia paranóide

As alterações formais podem ser assim descritas:

  • Incoerência do pensamento
  • Desagregação do pensamento: esta pode chegar a um extremo que caracteriza a salada de palavras, em que não se entende nada do que ele diz.
  • Aceleração ou lentificação do pensamento
  • Pensamento empobrecido
  • Fuga de ideias: há o relato de que os pensamentos estão sumindo de sua cabeça
  • Perseveração: ater-se a um mesmo tema indefinidamente

Alterações do conteúdo do pensamento:

esquizofrenia paranóide

  • Ideias sobrevalentes ou sobrevalorizadas – quando um tema comum ou sem importância passa a ter um lugar central
  • Delírios – alterações  de conteúdo do pensamento que não são compartilhados pelos outros:  Estas idéias são incompreensíveis, inamovíveis e irredutíveis pela argumentação lógica
  • Eco do pensamento – crença de que seu pensamento  ecoa, difundindo-se assim para as outras pessoas
  • Subtração de pensamento: vivência que seus pensamentos estão sendo roubados
  • Inserção de pensamento: aqui a vivência é a de que pensamentos são introduzidos em sua mente
  • Difusão ou expropriação do pensamento
  • Bloqueio de pensamento: vivência de que os pensamentos estão sendo bloqueados
  • Disparatamento

Tipos de delírios

Conforme mencionei acima os delírios variam de acordo com seu conteúdo:

  • Perseguição: crença de estar sendo perseguido. As razões podem variar. Por exemplo, Freud escreveu em sua obra sobre o caso do juiz Daniel Paul Schreber, que afirmava ter perseguidores que queriam transformá-lo em mulher. Mas o motivo apresentado poderia ser matá-lo, difamá-lo ou prejudicá-lo. Mas pode envolver otras crenças como estar sendo perseguido no trabalho ou na escola.
  • Autorreferência: fatos do cotidiano têm relação com a pessoa: por exemplo, houve uma alteração no horário de um voo e ela acredita que isto ocorreu por sua caus
  • Influência: vivências de que está sendo controlado, comandado ou influenciado por espíritos ou forças cósmicas
  • Ciúme: convicção de estar sendo traído por seu par
  • Erotomania ou delírio de ser amado por alguém: um homem que tinha convição absoluta de que a atriz Bruna Marquezine o amava, e ele sequer a conhecia
  • Místico: alguém que diz ser um novo cristo e que tem uma missão a realizar na Terra.

Alterações da percepção

 

  • Alucinações: percepções sem haver um objeto. Exemplo: ouvir vozes quando não há ninguém por perto. Ou ver pessoas e coisas que, de fato, não se encontram onde a pessoa afirma. Ou ainda perceber alterações no seu corpo, como se seus orgãos não fossem seus orgãos, e sim objetos mecânicos
  • Ilusões: falsificação da percepção de um objeto real. Exemplo: ao chegar em casa, confundir uma vassoura encostada na parede com uma pessoa.

esquizofrenia-paranoide

Outras alterações na esquizofrenia paranóide

  • Ecolalia: repetir o que os outros dizem como um eco
  • Ecopraxeia: imitar o que os outros fazem
  • Verbigeração: repetição aleatória de frases e palavras
  • Neologismos: introdução de palavras desconhecidas que só fazem sentido para ele
  • Logorréia: falar sem parar
  • Solilóquios: falar sozinho
  • Mussitação: falar sussurrando
  • Coprolalia: dizer palavrões
  • Embotamento afetivo: o empalidecer das emoções e dos sentimentos

.

Tratamento

O tratamento da esquizofrenia paranóide se dá com antipsicóticos, tanto os atípicos de última geração – Risperdal, Zyprexa, Geodon, Seroquel, Abilify – como com antipsicóticos mas antigos – Haldol, Amplictil, Neozine, Orap.

Por vezes, é preciso fazer associações entre estas drogas para uma melhor resposta terapêutica.

Quando o quadro é resistente ou refratário ao tratamento, um antipsicótico de geração mais antiga – Leponex – pode ser usado com maiores chances de remissão do quadro.

Este medicamento precisa de um controle estreito da contagem de glóbulos brancos pois pode levar a uma extrema diminuição deles, o que acarreta risco de vida por imunodepressão.

O controle através de hemogramas frequentes é suficiente para detectar este tipo de problema

Psicoterapias que abordam delírios e alucinações são bastante úteis.

Terapia ocupacional tem também um papel importante.

Internação em Hospital-Dia pode ajudar o paciente a sair do surto psicótico.

Sintomas de ansiedade e de depressão podem estar presentes e devem ser tratados com medicamentos próprios para estes sintomas.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

Esquizofrenia e a alma cindida

Esquizofrenia

A esquizofrenia é uma psicose que afeta  sobretudo os jovens. O termo significa cisão da mente e de suas funções.

esquizofreniaOs sintomas mais observados no quadro da esquizofrenia são delírios, alucinações, pensamento desorganizado, embotamento afetivo e prejuízo na volição. São tantos os sintomas, que daí nasceu a expressão Alma cindida ou Partida. Explicando os sintomas:

Delírio é um falso juízo da realidade. A pessoa acredita naquilo e ninguém consegue demovê-la de sua crença, que é irredutível pela argumentação lógica.

Exemplo: O mundo vai acabar… Sou Jesus Cristo.

Freud teve contato com um juiz que acreditava ter perseguidores que queriam transformá-lo em mulher.

Alucinação é a percepção sem objeto. Explo: ver pessoas e objetos que não estão de fato presentes.

.

Ouvir vozes em locais que não se encontram pessoas. Podem ser vozes que comandam o alucinado ou que descrevem o seu comportamento.

Na desorganização do pensamento, este se torna tão incoerente que pode perder suas associações lógicas, tornando-se uma salada de palavras.

No embotamento afetivo, ocorre um empobrecimento das emoções e dos sentimentos, havendo uma perda de seu colorido.

Um irreversível empalidecimento de ambos.

Em relação á volição, os que sofrem deste transtorno, perdem a vontade e a iniciativa próprias.esquizofrenia

Há outros sintomas tidos como centrais, como os sintomas de primeira ordem de Kurt Schneider, que são alterações formais do pensamento:

  • Leitura do pensamento
  • Irradiação do pensamento
  • Sonorização do pensamento
  • Roubo do pensamento
  • Inserção do pensamento
  • Eco do pensamento

Outros sintomas: depressão, ansiedade e declínio cognitivo (perda da capacidade de abstração). Neologismos. Comportamento bizarro.

A prevalência (frequência com que ocorre) da esquizofrenia na população geral, ao longo da vida, gira em torno de  2%.

Causas da esquizofrenia:

Admite-se que haja causas genéticas e também ambientais que possam levar à esquizofrenia. Hoje sabe-se que existe uma neurodegeneração.

esquizofreniaUm aspecto que preocupa, e muito, é o uso de maconha pelos adolescentes.

Esta preocupação foi trazida à tona, no programa Roda Viva, pelo Prof. Dr. Valentim Gentil Filho, professor titular de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.

Ele cita estudos que mostram que adolescentes que fumam maconha uma vez por semana, tem um risco aumentado em 310% de se tornarem esquizofrênicos.

A preocupação do professor é a de a sociedade, e sua tolerância com esta droga, estar criando uma fábrica de esquizofrênicos.

Mas a preocupação não se restringe a isto.

Há prejuízos do intelecto e também da estrutura da personalidade.

Os consumidores de maconha têm uma redução de 8,1 pontos no seu QI e apresentam um riso infantilóide bem característico, segundo o professor.

É possível que os estragos sejam maiores por um maior teor de tetrahidrocanabinol (THC) na maconha, nos dias de hoje quando comparados aos da década de 60.

O THC é a substância responsável pela eclosão de psicoses nos usuários de maconha

Tratamento farmacológico

Os antipsicóticos são as drogas de primeira escolha no tratamento da esquizofreinia e apresentam eficácia relativamente boa no seu tratamento. São eles:

  • Amplictil, Haldol, Neozine, Triperidol,  conhecidos como neurolépticos
  • Antipsicóticos atípicos ( de última geração): Risperdal, Zyprexa, Seroquel, Geodon
  • Leponex: usado em casos que não respondem aos antidepressivos acima

Técnicas de TCC

Foi Elizabeth Keepers quem empreendeu pesquisas sobre o tratamento psicoterápico da esquizofrenia e outras psicoses. Ela criou alguns experimentos comportamentais que envolveram a confrontação com a realidade.

Por exemplo, havia um jovem que todos os dias chegava em casa, do trabalho e ouvia vizinhos dizendo que ele era homossexual.

Keepers, então, teve a ideía de reunir familiares e amigos do paciente, no apartamento deste último, no horário que ele ouvia estas vozes (alucinações visuais).

Entraram todos no apto e o paciente começou a chamar a atenção de todos para suas alucinações.

Keepers, então,  passou a perguntar a cada um deles se estavam ouvindo as vozes.

Diante da unânime negativa, perguntou ao paciente o que ele achava disso.

E o resultado foi uma redução na convicção que o paciente tinha sobre os vizinhos estarem falando dele.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!

tito paes de barros neto