Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Afetividade: humor, emoções e sentimentos

Afetividade pode ser definida como todo o domínio das emoções, dos sentimentos e dos estados de humor.

Está relacionada com as sensações, impulsos, como todo tipo de vivência individual, e suas formas complexas de expressão.

afetividade2-600

 

Afetividade e Humor

 

Humor é o tônus afetivo básico e reúne elementos psíquicos e físicos.

Ou seja, ele é vivenciado no corpo e na mente.

Mas, como assim, no corpo e na mente?

Na verdade, o humor espelha a tonalidade afetiva. Complicado?

Vou tentar me comunicar melhor com você. Combinado?

Assim, vou recorrer a um exemplo: o fragmento da canção Frisson, de Tunai:

Meu coração pulou, você chegou me deixou assim, com os pés fora do chão, pensei que bom, parece enfim acordei…  Você caiu do céu, um anjo lindo que apareceu, com olhos de cristal, me enfeitiçou
Eu nunca vi nada igual, de repente, você surgiu na minha frente…

Note que existem componentes físicos e  psíquicos no fragmento desta canção.

E que às vezes é difícil separá-los na prática.

Afetividade e Emoção

Emoção é uma reação afetiva aguda, intensa e de curta duração.

Geralmente é desencadeada por estímulos diversos, que podem ser externos ou internos.

Por exemplo, ficar irritado em uma discussão.

Lembrar de algo desagradável e sentir raiva.

Sentir-se alegre na companhia de amigos.

Afetividade e Sentimento

afetividadeSentimento é um estado afetivo mais estável, mais duradouro e menos intenso que a emoção.

Exemplos: amor, ódio, frustração, rancor, medo, tristeza, felicidade.

Sentimentos estão relacionados a valores, conceitos e representações que lhes conferem um significado emocional.

Alguém que foi traído pelo seu cônjuge, pode sentir-se imensamente triste com isto, tanto pela rejeição, como pelo fato de a traição ser um valor execrável para ela.

Espero ter ajudado no esclarecimento dos conceitos de humor, emoção e sentimento.

Afetividade e estados afetivos patológicos

Podem ser caracterizados de diversas maneiras.

Alterações dos sentimentos corpóreos:

  • São sentimentos frequentes em doenças físicas, como a angústia do cardiopata, a sufocação do asmático e também o sentimento de melancolia na depressão, sentido como pressão no peito.

Alterações da energia e do rendimento:

  • Sentimentos de energia e rendimento dizem respeito à força e e autoconfiança. No depressão observamos insuficiência, incapacidade, indecisão e inutilidade.

Tônus afetivo (humor) encontra-se alterado na apreensão.

A empatia exagerada de uma pessoa faz com que esta veja os outros como seres humanos sem alma.

Isto compromete a qualidade das relações interpessoais com os outros.

  • Sentimento da falta de sentimento, conhecido como atimia ou anestesia afetiva. Ocorre na depressão e é vivenciado como algo penoso e triste, fazendo com que a pessoa não sinta mais amor pelos seus entes queridos. Somente um vazio que não sai de dentro dela.
  • Medo, pânico e fobias – são sentimentos que fazem parte do universo da ansiedade.
  • Distimia – um tipo de depressão crônica na qual predomina o mau-humor.
  • Mania e hipomania – estados típicos de maior ou menor euforia presentes no transtorno bipolar.

Tudo isso faz parte do universo da afetividade ou esfera afetiva do psiquismo humano.

E mais, há uma importante correlação entre elementos da esfera afetiva com outras funções psíquicas das esferas intelectual e da vontade (volição).

Assim, lembrar (memória) de uma situação de abandono pode deixar uma pessoa triste, com raiva ou, ainda, frustrada.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!

tito paes de barros neto

 

Suicídio: trágico e antecipado fim

O suicídio encontra-se frequentemente relacionado à presença de transtornos mentais.

http://www.medosefobias.com.br/contato-2/Isto é observado em pessoas com depressão, seja ela bipolar ou unipolar, mas também ocorre em transtornos de personalidade, como o transtorno de personalidade borderline.

E também em alcoolistas, dependentes de drogas e ansiosos.

Entretanto, pode ocorrer em pessoas aparentemente normais, em um ato impulsivo.

E, frequentemente, assim que alguém pula pela janela, em um ato de desespero impensado, já pode começar o arrependimento.

Isto foi constatado em sobreviventes de tentativas de suicídio, que no trajeto entre a janela do apartamento e o solo, já se encontravam arrependidas.

Em outros casos pode ser a cultura que determina o suicídio, como o sentimento de vergonha presente entre os japoneses.

Que os levam, muitas vezes, ao se sentirem muito envergonhados, a cometer o Harakiri.

O suicídio parece arraigado na cultura japonesa, nos exemplos ocorridos na Segunda Grande Guerra, com os kamikazes.

Fato é que ele permanece como um grande mistério. E também um assunto tabu; pouco discutido.

Não sabemos ao certo o que levou algumas  pessoas talentosas, como o pintor Vicent van Gogh, a tirar sua própria vida.

Suicídio cometido por pessoas notórias

suicídioAbaixo uma relação de algumas pessoas conhecidas do grande público que deram fim à própria vida:

  • Santos Dumont
  • Ernest Hemingway
  • Hitler
  • Marilyn Monroe
  • Getulio Vargas
  • Robin Williams
  • Virginia Woolf
  • Salvador Allende

A despeito do enigma que envolve o suicídio, é importante dizer que a maioria daqueles que tentam tirar a própria vida, não consegue realizar o seu intento.

Alguns estimam erradamente a altura de que vão se atirar como suficiente; e não é. Outros tomam medicamentos que não são letais.

Outros ainda tentam métodos nada ortodoxos como abrir a boca o máximo que puderem usando a força das próprias mãos.

Talvez, no fundo, eles não quisessem mesmo se matar.

O fato é que, muitas vezes, a tentativa não resulta em morte e, sim, em complicações físicas sérias, como a paraplegia, a tetraplegia e sequelas neurológicas graves.

Podem haver também danos ao trato digestivo nos que tentam se matar com soda cáustica, que não mata, mas deixa sequelas muito ruins.

Há pessoas que vivem perigosamente, dirigindo em alta velocidade, sem usar o cinto de segurança.

Estas pessoas manifestam comportamentos de alto risco que podem levar à morte.

Estes comportamentos são denominados de parassuicidas e podem equivaler a tentativas frustadas de suicídio.

Em outras circunstâncias, a tentativa de suicídio pode ser lida como um pedido de socorro.

No entanto, há situações especiais em que algumas pessoas lutam para que o Estado ou mesmo a Igreja consintam no seu suicídio assistido.

Estas pessoas encontram-se acamadas e sem esperança de recuperação. Foi o caso de Ramon Sampedro que ficou tetraplégico após um mergulho em que bateu a cabeça.

Ele cometeu o suicídio ajudado por amigos. Não pelo Estado.

Esta história inspirou o filme Mar Adentro, com Javier Bardem interpretando Sampedro.

Suicídio: fatores de risco

  • Solidão
  • Desemprego
  • Perdas diversas
  • Ser portador de uma doença mental
  • Ter uma doença física grave
  • Histórico de abuso sexual

Sinais emitidos por alguém que tenciona cometer suicídio

suicídio

  1. Aqueles que pensam em se matar, tornam-se mais calados que o habitual.
  2. Eles descrevem uma percepção de névoa nos pensamentos que dificultam a concentração.
  3. Remoem pensamentos.
  4. Sentem-se desesperançosos.
  5. Não vêem sentido na vida.
  6. Não têm prazer.
  7. Encontram-se muito tristes ou apáticos.
  8. Estão mais irritados.
  9. Queixam-se de não estarem dormindo direito.
  10. Acham que a vida não vale mais a pena.

Ao observar mudanças de comportamento ou sinais como os descritos acima, é importante a procura de um psiquiatra, sem maiores delongas.

Fatores que protegem contra o suicídio

  • Senso de valor próprio = ter uma boa autoestima
  • Confiança em si
  • Busca de ajuda quando estiver com problemas
  • Receber conselhos
  • Ter uma razão para viver: um projeto de vida
  • Ter vínculos sólidos/estreitos  com os familiares: pai, mãe, esposa, filhos
  • Ter uma fé religiosa
  • Ter habilidades para solucionar problemas e de sociabilização

Procure adquirir habilidades que você não possui, ou então, torne as que você já possui mais robustas.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com seus amigos nas Redes Sociais.

Se você ficou com alguma dúvida ou simplesmente quiser contribuir para o tema, deixe um comentário logo abaixo e eu prometo que te respondo!

tito paes de barros neto