Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

TDAH: causas, clínica e tratamento

TDAH ou transtorno de déficit de atenção/hiperatividade é um transtorno do neurodesenvolvimento.

Ele ocorre em 5,3% das crianças e adolescentes e em 2,5% dos adultos e ocorre igualmente em ambos os sexos.

O TDAH predispõe as pessoas afetadas a manifestarem outros transtornos, o que pode reduzir a eficácia dos tratamentos.

Os problemas associados que ocorrem com maior frequência entre adultos são: transtornos de ansiedade, depressão, transtorno bipolar, personalidade antissocial, transtorno desafiador de oposição, transtorno de conduta e abuso e dependência de álcool e drogas.

Deficit de atenção

tdahO transtorno se caracteriza por desatenção, a ponto de a pessoa não conseguir se engajar em uma tarefa por não conseguir fixar a atenção naquilo que deveria fazer.

E também por dificuldade de planejamento de atividades  e de execução  do que foi planejado. O “empurrar com a barriga” é notório.

Uma leitura pode tornar-se uma tarefa hercúlea para quem tem TDAH.

Há pouco tempo atendi um paciente meu com TDAH em consulta.

E conversei bastante com ele, explicando as possíveis consequências de seus comportamentos.

Ele me olhava fixamente e balançava a cabeça em sinal de anuência.

.

Ao encerrar minha explicação, indaguei a ele se tudo havia ficado claro.

Ele me disse que sim, mas eu não fiquei convencido do seu sim e solicitei a ele que sintetizasse o que eu havia lhe dito.

Ele começou a rir e disse que não havia prestado atenção em uma única palavra do que eu havia dito.

O que fazer? Rasgar o diploma? Não.

É preciso uma boa abordagem terapêutica do problema, que será vista logo adiante.

Hiperatividade

A hiperatividade é  inquietação do tipo não conseguir parar quieto, sobretudo em atividades que exigem silêncio e pouca movimentação.

A pessoa é irriquieta e sua movimentação não tem propósito.

Isto afeta negativamente o meio em que ele se encontra, irritando os outros.

Dizem que estas pessoas parecem ter “formiga na bunda.”

Outro sintoma característico é a impulsividade.

Esta encontra-se a serviço de manter a necessidade de obter uma gratificação imediata.

Quem tem TDAH é capaz de interromper abruptamente uma conversa sem a menor cerimônia, causando irritação nas pessoas.

Tudo é feito de uma forma rápida e impensada.

Possíveis causas

tdahAinda não se sabe com certeza a causa ou as causas do TDAH.

Fatores genéticos podem ter um papel importante na sua etiologia.

Gostaria de lembrar, no entanto que a genética e os fatores externos ambientais caminham juntas.

E que o ambiente também tem tem grande importância na gênese do TDAH

Investimentos grandes têm sido feitos nos aspectos genéticos e é de se esperar que, com o tempo, algumas respostas se revelem.

 

Tratamento do TDAH

O tratamento do TDAH é multimodal, isto é, tem múltiplas abordagens.

Suas principais vertentes são a terapia cognitivo-comportamental e o tratamento medicamentoso.

Pelo menos um deles deve estar presente no tratamento do TDAH.

Terapia cognitivo-comportamental

A substituição de comportamentos indesejáveis por comportamentos mais saudáveis é um dos objetivos da terapia.

Uma das maneiras possíveis de se obter isso é através da aprendizagem social, que ocorre por observação.

Novos comportamentos saudáveis são adquiridos por observação de pessoas que têm este repertório (modelos).

Se a pessoa estiver em terapia, a melhora do repertório será reforçada com gratificações estipuladas pelo terapeuta (reforçamento positivo).

Tratamento medicamentoso

Objetivos: redução do número de sintomas e da sua duração,

As principais drogas que dispomos no Brasil para o tratamento do TDAH são a Ritalina e o Venvanse.

Resposta clínica favorável ocorre em 70% dos casos.

Os principais efeitos colaterais são insônia, nervosismo, dor de cabeça, irritabilidade, tremor e diminuição do apetite.

Ambas têm potencial de abuso e dependência.

Outras drogas que podem ser usadas em seu tratamento são o Wellbutrin e o Stavigile.

O primeiro é um antidepressivo que pode ser ministrado em TDAH comórbidos com depressão.

O segundo é uma droga não estimulante usada para sonolência excessiva e narcolepsia.

Seu papel no tratamento do TDAH ainda não está bem claro.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto