Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Ansiedade de Separação

A ansiedade de separação, também conhecida como transtorno de ansiedade de separação, é a ansiedade excessiva que envolve o  afastamento de casa.

Ou de figuras importantes de vinculação.

ansiedade de separação

Para que seja caracterizado como tal, ele deve causar sofrimento clinicamente significativo.

Para que seja caracterizada a ansiedade de separação, deve haver sofrimento significativo

Ou prejuízo no funcionamento social, acadêmico (ocupacional) ou outras áreas importantes na vida do indivíduo.

Os indivíduos com este transtorno podem experimentar sofrimento excessivo recorrente, quando da separação de casa ou de figuras importantes de vinculação.

Quando separados dessas figuras de vinculação, freqüentemente precisam saber de seus paradeiros e sentem necessidade de permanecer em contato.

Alguns indivíduos sentem saudade extrema e chegam a sentir-se enfermos devido ao desconforto.

Nas situações de separação, eles freqüentemente abrigam temores.

De que acidentes ou doenças acometam as figuras a quem têm apego ou a eles próprios.

Ansiedade de separação nas crianças

As crianças com este transtorno freqüentemente expressam o medo de se perderem e jamais reverem seus pais.

Pode haver relutância ou recusa a comparecer à escola ou acampamentos, visitar ou pernoitar em casa de amigos, ou sair para cumprir pequenas incumbências

Essas crianças podem ser incapazes de permanecer em um quarto sozinhas.

E podem exibir um comportamento “adesivo” e andar “como uma sombra” atrás dos pais, por toda a casa.

Frequentemente têm dificuldades para dormir e podem insistir para que alguém permaneça a seu lado até adormecerem.

Durante a noite, podem ir para a cama dos pais (ou de outra pessoa significativa).

Se o ingresso ao aposento dos pais é impedido, podem dormir junto à porta.

Sintomas cardiovasculares, tais como palpitações, tontura e sensação de desmaio iminente, são raras em crianças menores, mas podem ocorrer em indivíduos mais velhos.

Preocupações com a morte e o morrer são comuns.

A recusa à escola pode acarretar dificuldades acadêmicas e evitação social.

As crianças podem queixar-se de que ninguém gosta delas e afirmar que desejariam estar mortas.

Em indivíduos mais velhos, o transtorno pode limitar sua capacidade para lidar com alterações nas circunstâncias de vida (por ex., mudança de domicílio, casamento).

Os adultos com o transtorno tipicamente se preocupam em demasia com seus filhos e cônjuges e experimentam acentuado desconforto quando separados deles.

ansiedade de separação

Após descrever as clínicas da ansiedade de separação, algumas palavras sobre como lidar com isso.

Dicas para o seu manejo

  • A criança deve ser estimulada por pais e professores a desenvolver um senso de autonomia e independência/competência.
  • Seus êxitos devem ser reforçados ( elogiados, incentivados).
  • A família deve ser orientada para que a criança mantenha um comportamento o mais próximo do saudável.
  • As crianças devem ser estimuladas a, gradualmente, abandonar seus comportamentos adesivos em relação aos pais e outras pessoas a quem estejam vinculadas.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *