Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Remédio para Depressão

Remédio para depressão saltou do status de “não tem remédio”, desde a metade do século XX,  para uma condição em que uma vasta gama de antidepressivos encontra-se disponível no mercado.

remédio para depressão

É preciso lembrar, no entanto, que todos eles são vendidos mediante a apresentação de receita médica controlada.

Antidepressivos devem ser prescritos de acordo com as características próprias de cada tipo de depressão.

Importante dizer que o antidepressivo que é bom para uma determinada pessoa, pode não ser para outra.

Há diversas classes de antidepressivos:

  • Tricíclicos: são os antidepressivos de primeira geração. Entre eles estão o Tofranil, o Anafranil, o Tryptanol e o Pamelor. Sâo eficazes, porém causam diversos efeitos colaterais desagradáveis e têm contraindicações
  • Inibidores seletivos de recaptação da serotonina (ISRS): atualmente são a classe de antidepressivos mais prescrita. Prozac, Aropax e Lexapro são os mais conhecidos
  • Inibidores de recaptação da serotonia e da noradrenalina (IRSN): constituem uma classe mais moderna de antidepressivos, com o diferencial de terem uma ação noradrenérgica, além da serotoninérgica. São eles, o Efexor, o Pristiq e o Cymbalta
  • Atípicos: são uma miscelânia de antidepressivos com mecanismos diversos e úteis em casos de depressão com características mais específicas. Aqui vão alguns seles: Remeron, Donaren, Prolift, Wellbutrin e o multimodal Brintelix
  • Inibidores da monoaminoxidase: praticamente não são mais utilizados. Um deles é extremamente eficaz, mas há muitos riscos no seu uso, principalmente com interações com outros medicamentos, com bebidas e com alimentos. São eles: Parnate e Aurorix (este não se prescreve mais). O Parnate ainda é prescrito em casos em que outros antidepressivos não surtiram efeitoremédio para depressão

 

São usados no tratamento da depressão e outros transtornos que não serão abordados neste artigo.

Um remédio para depressão não deve  ser emprestado a parentes e amigos. A recíproca é verdadeira

Quando um antidepressivo não funciona, o que ocorre em cerca de 40% dos casos, algumas estratégias de tratamento são utilizadas, como a potencialização com outros psicotrópicos, a troca do antidepressivo ou a associação de dois ou mais antidepressivos.

Antidepressivos causam efeitos colaterais que podem ser indesejáveis ou desejáveis.

Entre os efeitos indesejáveis, que são a maioria, temos tontura, dor de cabeça, boca seca, taquicardia. Um dos efeitos desejáveis é a sonolência que pode tratar a insônia de pacientes que apresentam depressão ansiosa.

Os antidepressivos também podem gerar interações medicamentosas com outros remédios , sejam estes antidepressivos ou não.

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

tito paes de barros neto

 

Stress no Cotidiano

Stress ou estresse é um termo bastante utilizado entre as pessoas. O estresse no cotidiano ocorre frequentemente entre as pessoas.

stress

E não pode ser considerado uma doença ou transtorno. Na verdade o stress só é considerado um transtorno quando está relacionado a traumas incomuns na vida da pessoa.

Como por exemplo, testemunhar a morte de alguém, ser sequestrado e permanecer em cativeiro.

Ser estuprado(a), sofrer muito com sintomas de uma doença grave.

Estas são algumas das situações que podem levar ao transtorno de estresse pós-traumático, o TEPT.

Um transtorno que se caracteriza pelo reviver as situações traumáticas como se elas estivessem de fato acontecendo novamente.

Isto se dá através de pesadelos e flashbacks (sonhar acordado)  acerca da situação traumática.

O que causa acentuado prejuízo na vida da pessoa que pode atingir diferentes áreas, como trabalho, vida social, lazer e vida amorosa.

Entretanto vou me  ater um tipo de stress mais comum: aquele que se encontra presente no dia a dia das pessoas. O stress no cotidiano.

Stress é uma condição que pode levar as pessoas a desenvolverem doenças

O exemplo mais característico é o da pessoa sob pressão no trabalho.

Com prazos estreitos para finalizar seu trabalho, que se alimenta mal, dorme mal e vive preocupada.

Esta pessoa pode desenvolver, hipertensão arterial, gastrite ou mesmo úlcera gástrica.

Além de problemas de pele e outras doenças, inclusive transtornos de ansiedade e depressivos.

Pessoas sob grande pressão podem entrar em um grau por se encontrarem de acentuada exaustão, chegando ao burnout, estado em que perdem a capacidade de trabalhar por um estado de esgotamento físico e mental.

Esta é uma situação passível de ocorrer no mundo corporativo, fazendo parte do estresse no cotidiano delas.

Mas além do trabalho existem muitas outras situações que funcionam como autênticos estressores na vida delas e que cito abaixo algumas delas:

  • Divórcio
  • Morte de pessoa querida: cônjuge, filho, amigo
  • Estar na mira do imposto de renda
  • Casamento
  • Nascimento de filho
  • Demissão
  • Doença grave, inclusive em um membro da família
  • Aposentadoria
  • Tornar-se expatriado

E como devemos lidar com as situações geradoras de stress?

stress

O ideal é tirá-las da frente. Mas nem sempre isso é possível.

Então outras metas podem ser estabelecidas para reduzir o stress.

Uma alimentação saudável é uma boa medida.

Tem gente que nem almoça quando está no trabalho.

Ou come um salgado. Senão come não pensa, não raciocina.

Existem muitos elementos que são fundamentais para que a mente funcione bem.

Como o fósforo, que tem um papel no funcionamento da memória.

Isso, fora a importância dos legumes, hortaliças e frutas.

Exercícios físicos são ouro para reduzir o impacto do stress sobre o organismo, sobretudo os exercícios aeróbicos, como a corrida e a caminhada.

stress

.

Meditação também tem sua importância.

Uma parte do tempo pode e deve ser dedicado a atividades que levem ao prazer.

Agora, com algumas medidas como as citadas, é só manter o stress longe de você.

Importante lembrar que se você estiver com depressão o com algum transtorno de ansiedade, isto vai requerer tratamento especializado.

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

.

.

tito paes de barros neto

Psicologia, Insight e Comportamento

Psicologia é uma ciência que estuda os processos mentais das pessoas em três esferas: cognitiva,  afetiva e comportamental, e suas interações com o ambiente.

psicologia

O termo psicologia vem do grego e significa Ciência da Alma.

Pode-se dizer que a psicologia estuda também o comportamento humano e as funções mentais destas esferas:

Esfera cognitiva

  • Atenção
  • Memória
  • Orientação
  • Pensamento
  • Percepção
  • Compreensão
  • Raciocínio

A esfera cognitiva pode ser entendida como a esfera da Inteligência

Esfera afetiva

  • Humorpsicologia
  • Emoções
  • Sentimentos
  • Afetos
  • Paixões

Esfera volitiva

  • Impulsos
  • Iniciativa
  • Pragmatismo
  • Linguagem

Esta é a esfera da vontade.

As três esferas, em conjunto, constituem a personalidade.

A psiquiatria é especialidade  médica que se incumbe de prevenir, diagnosticar e tratar os transtornos ou doenças mentais.

.

A psicologia aborda aspectos normais e patológicos dos seres humanos. A psiquiatria também

.

E é justamente na abordagem dos aspectos patológicos, isto é, da psicopatologia, que a psicologia compõe um sinergismo com a psiquiatria.

Ambas tratam de alterações patológicas do psiquismo. A psiquiatria com o tratamento psicofarmacológico, isto é, medicamentoso.

E a psicologia, com a psicoterapia.

Entre algumas das alterações psicopatológicas tratadas pela psicofarmacologia e também pela psicoterapia temos:

  • Humor deprimido
  • Tristeza
  • Autoestima diminuída
  • Apatia
  • Sentimento da falta de sentimento
  • Prejuízo de atenção e de memória
  • Delírios e alucinações
  • Sentimentos de confusão
  • Impulsividade
  • Falta de vontade
  • Pragmatismo comprometido

No campo da psicoterapia, existem muitas linhas de pensamento e diferentes abordagens.

Entre as abordagens conhecidas como psicodinâmicas temos a psicanálise, as terapias  do ego, o psicodrama. Elas visam o insight, isto é a compreensão interna.

psicologia

A terapia existencialista, de inspiração filosófica aborda o ser humano e sua essência.

A terapia comportamental visa mudanças no comportamento indesejado.

Mas deste ponto de vista pode-se dizer que todas as psicoterapias almejam isto.

A terapia cognitiva procura identificar pensamentos negativos, questioná-los e substituí-los por pensamentos mais  realistas.

A terapia do esquema visa a melhora clínica dos pacientes misturando alguns referenciais teóricos.

Parece uma abordagem ousada, mas inteligente.

A terapia racional-emotiva mescla  a psicanálise com terapia comportamental.

São muitas as abordagens e as escolhas devem se dar de acordo com os objetivos de quem vai se submeter ao processo de ser terapeutisado.

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

tito paes de barros neto

 

Bipolar: Euforia e Depressão

Sou bipolar, e agora? O que devo fazer?

bipolar

Esta é uma questão que surge com frequência entre os bipolares e entre aqueles que desconfiam que são bipolares.

E que podem ser como podem não ser, a despeito dos palpites de amigos e familiares.

O ideal é ouvir uma opinião abalizada sobre ser bipolar ou não.

O diagnóstico do transtorno bipolar é bastante difícil de ser feito, mesmo quando um psiquiatra estiver avaliando o caso.

É um tratamento que muitos se recusam a fazer e isto tem uma explicação lógica:

Como o próprio nome diz, o transtorno bipolar é polarizado entre o polo maníaco, isto é da euforia, e o polo melancólico, isto é, da depressâo.

Até alguns anos atrás, o transtorno bipolar era conhecido como psicose maníaco-depressiva.

Uma denominação pouco adequada, já que o transtorno não é necessariamente psicótico.

Convencer alguém que sofre de transtorno bipolar a se tratar pode ser um desafio tão grande ou maior do que fazer o seu diagnóstico.

Este pode levar anos para ser feito. Nesse ínterim, o paciente recebe diagnósticos de depressão unipolar, transtorno de ansiedade e transtorno de personalidade.

Sou Bipolar. E Agora?

bipolar

Se você já foi diagnosticado como bipolar, é fundamental que faça um acompanhamento médico com um psiquiatra em que consultas regulares sejam feitas com periodicidade determinada pelo psiquiatra.

A medicação prescrita deverá ser tomada segundo a orientação do profissional, esteja ele em fase da doença, esteja com os sintomas controlados.

Parar a medicação por conta própria é um erro e pode acarretar sérias recaídas do quadro. O abandono do tratamento é complicado e ao mesmo tempo simples de se entender:

Quando um paciente se encontra em fase de mania ou euforia e recebe tratamento adequado, ocorre a remissão do quadro.

E com frequência o paciente fica com saudade de sua euforia. E abandona o tratamento para restituí-la.

O que ele não sabe, entretanto, é que justamente este estado de euforia pode arremessá-lo-lo em uma depressão grave com idéias de suicídio ou mesmo tentativas de suicídio. Ou, pior, cometer o suicídio.

Por esta razão, a palavra de ordem no tratamento do transtorno bipolar é: ADESÃO

Isso mesmo, uma boa adesão ao tratamento pode evitar muita dor e sofrimento.

Compareça às consultas, faça os exames solicitados pelo seu médico e tome regularmente os seus medicamentos.

Se você precisar de orientação sobre o diagnóstico e o tratamento do transtorno bipolar, para você, para um familiar ou um amigo, procure ajuda junto a ABRATA – Associação dos Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos.

bipolar

www.abrata.org.br

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

tito paes de barros neto

 

Tristeza e Anedonia na Depressão

Tristeza e anedonia são sintomas nucleares de depressão. Devem estar presentes quando for feito o diagnóstico de um transtorno depressivo maior.

tristeza e anedonia

Anedonia é um sintoma que se traduz pela perda do prazer em todas ou quase todas as atividades que levam ao prazer:  sair para jantar ou dançar, viajar, estar entre amigos, praticar esportes, etc

Embora a tristeza seja bem conhecida de todos nós, na depressão ela deve ser intensa e ocorrer na maior parte de tempo, para que caracterize um quadro de depressão.

Em outras palavras, não basta estar um pouquinho triste ou desanimado para que seja feito o diagnóstico de depressão.

Além disso outros sintomas compõem o quadro clínico da depressão:

  • Choro
  • Cansaço
  • Falta de energia
  • Apatia
  • Desânimo
  • Irritabilidade
  • Pessimismo
  • Alterações do sono: estas podem ser de dois tipos.
  1. A dificuldade para dormir, caracterizando a insônia, que pode ser inicial, que é a dificuldade de adormecer (pegar no sono).
  2. Os despertares frequentes durante a noite, conhecidos como insônia intermediária.
  3. E o despertar precoce em que a pessoa acorda de madrugada e não consegue mais dormir.
  4. Há também a hipersônia, em que a pessoa tem uma necessidade maior do que os outros de dormir.

tristeza e anedonia

A hipersônia ocorre com uma frequência menor do que a insônia, e ambas podem ocorrer em  outros transtornos mentais.

É importante lembrar que quando a insônia ocorrer pontualmente, ou esporadicamente, ela não deve ser considerada como sintoma de um transtorno mental.

Outros sintomas:

  • Alterações do apetite: tanto a perda do apetite, como o seu aumento podem ser sintomas de depressão.
  • Alterações do peso, como a perda de peso, ocorrem comumente na depressão, e podem ser consequência das alterações do apetite. O ganho de peso, embora menos frequente, também pode ocorrer
  • Lentificação do curso do pensamento, da fala e dos movimentos
  • Alucinações e delírios na depressão psicótica grave
  • Ideias de morte e de suicídio, que podem evoluir para planos e tentativas de suicídio, ou mesmo a consumação do suicídio

Tristeza e Anedonia são os Sintomas Nucleares da Depressão

Mas é o tamanho da tristeza e da anedonia, juntamente com os sintomas psicóticos, que determinam a gravidade da depressão.

Por esta razão, se você estiver com sintomas de depressão, não demore para buscar ajuda especializada.

O psiquiatra é o profissional mais habilitado para tratar quem esteja com depressão.

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

tito paes de barros neto

Ansiedade e seus Sintomas

Ansiedade e seus sintomas constituem um universo vasto e complexo de manifestações clínicas  que serão descritas neste artigo.

Apreensão, pavor, pânico e preocupação são alguns termos que descrevem um dos sintomas nucleares dos transtornos de ansiedade: o medo.

ansiedade e seus sintomas

No entanto, é preciso salientar que o medo, isoladamente ou quando ocorre esporadicamente, não caracteriza um transtorno de ansiedade.

Além do medo, com suas diferentes formas de manifestação, desde uma leve apreensão até o pavor absoluto, só será diagnosticado quando atrapalhar a vida da pessoa.

E comprometer o seu desempenho na esfera de trabalho, vida amorosa, vida social ou lazer.

Ansiedade e seus sintomas não constituem necessariamente um transtorno de ansiedade, a não ser que prejudiquem demasiadamente a vida da pessoa ou causem sofrimento excessivo

Isto só se daria com prejuízo acentuado em uma das áreas de sua vida ou  se houvesse sofrimento acentuado por causa da ansiedade

Assim, há pessoas que apresentam um ataque de pânico isolado e que sentem a experiência como dilacerante.

Entretanto se este ataque de pânico não se repetir, não será considerado transtorno de pânico.

O mesmo ocorre com as fobias.

Por exemplo: muitas pessoas tem medo de voar, mas entram em aviões e seguem viagem.

Não são fóbicas.

Agora imagine se esta pessoa se recusar a entrar em um avião, ou se estiver dentro da aeronave e obrigar a parar o avião em função de sua ansiedade.

Aí sim fica caracterizado um transtorno de ansiedade.

São mitos os sinais, sintomas e comportamentos que estão presentes nos transtornos de ansiedade.

A relação dos mais frequentemente observados encontram-se listados e brevemente descritos abaixo:

Sinais:

  • Suor excessivo
  • Tremor
  • Rubor facial
  • Palidez
  • Inquietação/agitação
  • Choro (também na depressão)
  • Gemidos

ansiedade e seus sintomas

Sintomas:

  • Irritabilidade
  • Falta de ar – pode ser visível
  • Taquicardia
  • Insônia
  • Tontura
  • Boca seca
  • Sensação de estranheza
  • Aperto na garganta
  • Dor ou opressão no peito
  • Medo

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

tito paes de barros neto

 

Ansiedade no Relacionamento

Até que ponto a ansiedade no relacionamento pode atrapalhar a vida de uma pessoa?

ansiedade no relacionamento

De diversas maneiras, eu diria.

Desde uma ansiedade que não seja patológica, isto é que não configure um transtorno de ansiedade, até a ansiedade presente nos transtornos fóbicos.

Há pessoas inseguras, que vivem com um repertório estreitado pela sua própria ansiedade.

Que caem em verdadeiras arapucas criadas por elas mesmas.

Por exemplo, um homem que sempre que estava na companhia de sua namorada perguntava repetidamente, dezenas de vezes se ela o amava.

Ele era uma pessoa insegura e por isso usava o expediente de buscar nela o reasseguramento de seu amor.

É claro que isto provocou um desgaste no relacionamento com o comportamento incessante da parte dele de perguntar.

Acarretando muita irritação por parte dela.

Mas este é um caso simples, em que uma pequena mudança de comportamento foi implantada, com o objetivo de reduzir a frequência que ele perguntava: “Você me ama?”

Em contrapartida, os transtornos de ansiedade podem trazer complicações.

Há pessoas que em função da ansiedade, sequer conseguem se relacionar com as pessoas.

É o caso das pessoas que sofrem de fobia social.

E que ficam retraídas diante das pessoas ou que são excessivamente tímidas.

Nas situações de flerte, muitas vezes não conseguem balbuciar uma única palavra.

Ou se tornam monossilábicas, passando a impressão de que não estão interessadas em conversar, o que não é verdade.

A verdade é que a ansiedade no relacionamento com as pessoas traz um prejuízo importante na vida dessas pessoas, com limitações em diferentes áreas de suas vidas

ansiedade no relacionamento

Voltando ao tema da ansiedade social, alguns fóbicos sociais tomam atitudes contra-fóbicas, isto é de enfrentamento extremo de seus temores.

E acabam metendo os pés pelas mãos:

Uma vez um fóbico social conseguiu conversar com uma moça que ele havia gostado.

E 40 minutos depois de iniciada a conversa, ele a pediu em casamento.

Nem é preciso dizer que ele nunca mais viu esta moça.

A ansiedade no relacionamento, no entanto, não se limita aos casos de fobia social.

Há pessoas que se preocupam demais com o outro, o que gera ansiedade.

ansiedade no relacionamento

Pessoas que têm pânico com agorafobia, costumam tornar-se dependentes de seus companheiros não conseguindo fazer mais nada sozinhas.

Cria-se um vínculo de dependência que desgasta demais a relação.

Apesar disso há pessoas que gostam que seus cônjuges agorafóbicos tornem-se dependente deles, ficando aflitas quando ele melhoram com o tratamento, tornando-se mais independentes.

Os que tem fobias específicas, podem impôr limitações não só à própria vida, como à toda família.

Alguém com fobia de voo pode se excluir de uma viagem de férias. Ou fazer toda família desistir da viagem.

Uma pessoa com fobia de baratas pode se recusar a ir a um sítio a convite de amigos por causa de seu pavor desses bichos.

Bem, se eu continuasse a escrever as inúmeras maneiras que a ansiedade pode atrapalhar os relacionamentos, isto não iria mais ser um artigo e sim um livro.

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

tito paes de barros neto

Fobias Estranhas e Raras Também Existem

Fobias estranhas costumam causar ainda mais perplexidade que as fobias comuns.

Tem gente que tem pavor de botões. Mas as fobias estranhas e raras não se limitam a ocorrências como estas.

Ainda que sejam estranhas, estas fobias não deixam de ser transtornos de ansiedade, mais especificamente transtornos fóbicos.

fobias estranhas

Veja abaixo a relação de algumas destas fobias:

  • Ablutofobia: medo de tomar banho ou usar qualquer método para se higienizar. Isso pode acarretar prejuízo em qualquer tipo de relação que envolva o contato interpessoal, como trabalho e vida social. Entretanto, é na vida amorosa que ocorre o maior prejuízo,  por motivos óbvios
  • Somniofobia: medo de adormecer e não acordar mais
  • Ergofobia: medo de trabalhar ou do ambiente de trabalho. Pode ser medo de cometer erros ou de interagir com as pessoas, como na fobia social
  • Nomofobia: medo ou esquiva de se comunicar com os outros usando aparelhos eletrônicos – telefone, radio, internet, skype
  • Filofobia: medo de amar, de ter um relacionamento amoroso, da rejeição
  • Heliofobia: medo do sol, dos raios solares. Pessoas com este tipo de fobia evitam a luz solar e só saem de casa à noite
  • Caetofobia: medo de cabelos e pelos do próprio corpo
  • Arquibutinofobia: pavor de certos alimentos, como produtos pastosos ou que tenham casquinhas, devido ao medo de que grudem no céu da boca
  • Afefobia: medo de ser tocado
  • Ecofobia: medo de eletrodomésticos
  • Coulrofobia: pavor de palhaços
  • Decidofobia: medo de tomar decisões
  • Cronofobia: medo do tempo passar. É mais frequente em pessoas idosas
  • Fagofobia: Medo de deglutir e engasgar com os alimentos
  • Cremetofobia: Medo de dinheiro
  • Tripofobia: Medo de buracos

As fobias estranhas, embora curiosas e, por vezes, engraçadas causam sofrimento acentuado nos seus portadores, devendo, por esta razão, serem tratadas adequadamente

É claro que fica difícil de abordar todas as fobias estranhas e raras que se encontram na face da terra. Isso poderia incluir a fobia de botões, de tomadas e outras que a nossa imaginação ainda não alcançou.

É preciso saber ou lembrar que estas fobias são tratadas da mesma maneira que as outras fobias.

Não existem medicamentos psicotrópicos que tenham eficácia no tratamento destas fobias.

terapia comportamental, sobretudo a técnica da exposição é a melhor forma de se tratar as fobias (vide os artigos publicados sobre fobias específicas neste blog).

Importante lembrar que a , isto é, o enfrentamento das situações temidas e evitadas, se dá de uma forma gradual.

Vou exemplificar o que estou dizendo citando a ablutofobia, que é o medo de tomar banho. A pessoa deve começar a se expor comedidamente.

Assim, o primeiro passo pode ser lavar um dos dedos da mão e ir progredindo na lavagem conforme a ansiedade vai diminuindo, até ficar igual a zero. Na progressão da exposição, lavar uma mão, o antebraço, o braço e assim, progredindo aos poucos, para o corpo todo.

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório. Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

 

tito paes de barros neto

Insegurança e Paranóia no País do Absurdo

Insegurança e paranóia são fatos que permeiam a vida das pessoas neste país.

Neste absurdo país.

E isto tem raízes na nossa própria história.

insegurança e paranoia

Apesar  de vinte e oito anos terem transcorrido,  e eu sobrevivido,  lembro bem do plano Collor.

Aquele em que o dinheiro dos brasileiros foi sequestrado.

Lembro de haver atendido em meu consultório a mãe de um colega, médico, que chegou carregada pelos familiares.

Ela se encontrava profundamente deprimida e com idéias de ruína e  de suicídio.

Pois o dinheiro  que economizou durante a vida, para a sua velhice, foi tomado de sopetão quando o plano  Color  entrou em vigor.

Surpresas desagradáveis como essas  têm acontecido com frequência na vida dos brasileiros gerando insegurança e paranóia

Na época, eu tinha um consultório de atendimento quase que exclusivo de psicoterapia.

Que foi varrido do mapa porque as pessoas não tinham mais dinheiro para se submeter a uma psicoterapia.

Foi um período de muito medo, insegurança e paranóia.

Aliás, viver com insegurança  por causa de planos como o Collor,  Sarney e outros que geram impostos e taxas têm sido uma constante.

Como o imposto viagem da  Dilma Russef, a Mulher Sapiens, que já se tornaram banalizados na nossa sociedade.

No entanto, não deveríamos nos acostumar a isso.

Nem com a criminalidade entre os políticos, governantes e outros homens da vida pública.

Afinal, é possível se aceitar o que faz Gilmar Mendes?

Isso mesmo, aquele que mandou soltar três vezes  Jacob Barata, um bandido, mesmo depois de um juiz do RJ ter ordenado sua prisão.

Temer: auto-explicativo.

Eduardo Cunha e Sergio Cabral: doutores em desvio do dinheiro público.

Há alguns séculos ambos teriam sido queimados em uma fogueira, em praça pública.

É claro que que não sou partidário desses métodos. Mas tem muita gente deixando o Brasil.

insegurança e paranoia

No entanto, acredito que  a corrupção e crimes afins devam ser combatidos com a mudança de leis.

Penas duras, muito duras, com longos períodos de encarceramento e sem alívio da pena, poderiam diminuir, e muito, o crime entre os homens de vida pública.

Nada de comutar as penas por serviços à comunidade, pois isso não dá certo.

Será possível se viver tranquilo um dia?

Tenho esperança que sim.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

Terror nas Escolas Públicas

O terror nas escolas públicas ocorre  tanto dentro como fora da escola por ação de gangues de alunos que entram em conflito entre eles e de alunos que atentam contra  professores.

A princípio, ela não disse nada. Olhava psra mim com uma expressão assustada. E continuava  sem falar

Depois, disse que solicitou ao aluno que fizesse o exercício proposto em classe.

E que ele a agarrou pelo pescoço e a manteve suspensa  com a mão em seu pescoço contra a parede, ameaçando-a de morte.

Esta paciente foi atendida por mim no Serviço de Psiquiatria do Hospital do Servidor Público Estadual.

Depois  do ocorrido não conseguia mais trabalhar e tinha constantes pesadelos e revivescências com o trauma que sofreu.

Terror nas escolas públicas – Fato raro?

terror nas escolas públicas

Absolutamente.

Pode-se dizer que isto é  muito mais comum do que supõe o nosso conhecimento.

Uma outra professora disse a um aluno que entregasse o trabalho, pois caso contrário, ficaria com zero e ele incendiou o carro dela estacionado próximo à escola.

Alunos  armados, imtimidadores, que trazem drogas para comercializar  dentro da escola, caracterizando o tráfico, são outros problemas que encontramos.

Um verdadeiro terror.

Tive a oportunidade de tratar muitos professores com transtorno de estresse pós-traumático.

Como eles não podiam ficar sem trabalhar, não podiam se demitir, ficando sem emprego, lutavam para conseguir uma licença-saúde.

Mesmo porque a maioria destas pessoas não reuniam mínimas condições para trabalhar.

terror nas escolas públicas

Pessoas que estavam com trasnstorno de estresse pós-traumático, ou com transtorno de adaptação.

Traduzindo: no transtorno de estresse pós-trsumático a pessoa revive a situação traumática através da revivescência das cemas traumáticas via flashbacks, que é o sonhar acordado, e os pesadelos aterrorizantes.

No transtorno de adaptação, os flashbacks e pesadelos não estão presentes.

Mad o sofrimento, com sintomas de depressão e ansiedade, é acentuado

Com frequência, sintomas depressivos, como a tristeza e a perda do prazer em tudo ou quase tudo estão presentes.

Além do transtorno de pânico que pode manifestar-se como um transtorno comórbido .

Estes são os possíveis desfechos da violência que ocorre nas escolas públicas.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto