Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Bipolar: Euforia e Depressão

Sou bipolar, e agora? O que devo fazer?

bipolar

Esta é uma questão que surge com frequência entre os bipolares e entre aqueles que desconfiam que são bipolares.

E que podem ser como podem não ser, a despeito dos palpites de amigos e familiares.

O ideal é ouvir uma opinião abalizada sobre ser bipolar ou não.

O diagnóstico do transtorno bipolar é bastante difícil de ser feito, mesmo quando um psiquiatra estiver avaliando o caso.

É um tratamento que muitos se recusam a fazer e isto tem uma explicação lógica:

Como o próprio nome diz, o transtorno bipolar é polarizado entre o polo maníaco, isto é da euforia, e o polo melancólico, isto é, da depressâo.

Até alguns anos atrás, o transtorno bipolar era conhecido como psicose maníaco-depressiva.

Uma denominação pouco adequada, já que o transtorno não é necessariamente psicótico.

Convencer alguém que sofre de transtorno bipolar a se tratar pode ser um desafio tão grande ou maior do que fazer o seu diagnóstico.

Este pode levar anos para ser feito. Nesse ínterim, o paciente recebe diagnósticos de depressão unipolar, transtorno de ansiedade e transtorno de personalidade.

Sou Bipolar. E Agora?

bipolar

Se você já foi diagnosticado como bipolar, é fundamental que faça um acompanhamento médico com um psiquiatra em que consultas regulares sejam feitas com periodicidade determinada pelo psiquiatra.

A medicação prescrita deverá ser tomada segundo a orientação do profissional, esteja ele em fase da doença, esteja com os sintomas controlados.

Parar a medicação por conta própria é um erro e pode acarretar sérias recaídas do quadro. O abandono do tratamento é complicado e ao mesmo tempo simples de se entender:

Quando um paciente se encontra em fase de mania ou euforia e recebe tratamento adequado, ocorre a remissão do quadro.

E com frequência o paciente fica com saudade de sua euforia. E abandona o tratamento para restituí-la.

O que ele não sabe, entretanto, é que justamente este estado de euforia pode arremessá-lo-lo em uma depressão grave com idéias de suicídio ou mesmo tentativas de suicídio. Ou, pior, cometer o suicídio.

Por esta razão, a palavra de ordem no tratamento do transtorno bipolar é: ADESÃO

Isso mesmo, uma boa adesão ao tratamento pode evitar muita dor e sofrimento.

Compareça às consultas, faça os exames solicitados pelo seu médico e tome regularmente os seus medicamentos.

Se você precisar de orientação sobre o diagnóstico e o tratamento do transtorno bipolar, para você, para um familiar ou um amigo, procure ajuda junto a ABRATA – Associação dos Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos.

bipolar

www.abrata.org.br

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório.

Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

tito paes de barros neto

 

2 thoughts on “Bipolar: Euforia e Depressão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *