Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Depressão Psicótica: Culpa e Hipocondria 

Depressão psicótica é um transtorno depressivo de maior complexidade e de manejo mais difícil que outros tipos de depressão.

Ela ocorre em cerca de 15% dos casos de depressão, e pode ser considerada uma manifestação mais grave que a depressão não psicótica.

depressão psicótica

A depressão psicótica se distingue da depressão não psicótica pois além do humor deprimido, definido por tristeza intensa e perda do prazer em tudo ou quase tudo, manifesta sintomas que ocorrem nos transtornos psicóticos.

Sintomas como alucinações, delírios, solilóquios e mussitação, hipocondria e risco de suicídio maiorque levam a uma necessidade de intervenção imediata.

A depressão psicótica é uma forma grave de depressão

Suas manifestações clínicas incluem:

Delírios: são alterações do conteúdo do pensamento que ocorrem com frequência na esquizofrenia e no transtorno delirante.

Trata-se de ideias cujo conteúdo não é compartilhado pelas outras pessoas. Por exemplo, alguém que afirma ser um novo Cristo que tem uma missão a realizar.

Eles também ocorrem na depressão psicótica, mas diferem dos outros delírios por seus conteúdos mais compreensíveis, mais maleáveis.

Abaixo, encontram-se exemplos de  delírios que ocorrem na depressão psicótica.

  • Culpa: uma mulher que se culpa, por exemplo, de ter sido uma péssima mãe (sem que isto tenha de fato ocorrido)
  • Ruína: ideias de ter perdido tudo, dinheiro, amigos, trabalho
  • Punição: a pessoa tem uma crença de esar sendo punida
  • Morte: alguém que acredita estar morto
  • Pessimismo, negativismo
  • Hipocondria: ideias de estar com uma doença incurável, apesar de o médico não confirmar estas ideias, e de os exames estarem normais.

Há casos extremos de delírios hipocondríacos em que a pessoas acredita que seus órgãos internos como fígado, intestinos, baço, etc estão apodrecendo.

Este quadro é conhecido como Síndrome de Cotard.

As alucinações se caracterizam pela percepção sem que haja um objeto real objeto. Podem ser, sobretudo.

depressão psicótica

  • Auditivas: a pessoa ouve vozes de caráter acusatório, sem que haja ninguém por perto
  • Visuais: visões de pessoas mortas ou dele mesmo, morto sem que haja qualquer indício na realidade.

Ilusões também podem estar presentes na depressão psicótica, e se caracterizam pela falsificação da percepção de um objeto real (ex: ao ver um cobertor e um travesseiro no sofá da sala, acreditar que é seja uma pessoa)

Solilóquios caracterizam-se pelo comportamento de falar sozinho e a mussitação, por murmurar sozinho.

Ambos são indícios claros de que a pessoa esteja ouvindo vozes, caracterizando assim as alucinações auditivas.

Se eu estiver com sintomas de depressão psicótica, o que devo fazer?

Procurar, sem maiores delongas, um psiquiatra, por se tratar de um problema grave de saúde mental.

Os antidepressivos são usados no tratamento da depressão psicótica, muitas vezes associados a drogas antipsicóticas, dependendo da gravidade dos delírios e/ou alucinações presentes no quadro clínico.

A psicoterapia é útil juntamente com os outros tratamentos citados acima. Jamais isoladamente.

Nos casos em que a gravidade é extrema, a eletroconvulsoterapia torna-se necessária.

Uma internação muitas vezes  torna-se imprescindível, sobretudo quando há ideação ou planos de cometer suicídio.

***

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

10 thoughts on “Depressão Psicótica: Culpa e Hipocondria 

  1. Ola, Dr. Tito, tudo bem? A depressao psicotica e o tipo mais grave de depressao? Qualquer pessoa que nao se cuida pode ter? E se ela se tratar pode levar uma vida normal depois? Conheço uma pessoa que teve depressao pos-parto e chegou ao ”fundo do posso” nao buscou tratamento e teve delírios e mais alguns sintomas do tipo. Isso ja faz quase 20 anos e inclusive a uns 15 ela nem remedio toma mais, nao teve recaida ate hoje e vive uma vida normal. E uma pessoa proxima, e isso sempre me instigou. Desde ja, muito obrigado Dr.!

    • Olá Felipe. Remissão esponânea de casos mais grave como o que vc mencionou raramente acontece. É mais comum a cronificação do quadro. Se eu fosse vc, consultava um psiquiatra par uma avaliação.

  2. Olá, Dr. Tito. Não conhecia a eletroconvulsoterapia, conforme citou no artigo, para o tratamento da depressão psicótica. Vou procurar entender melhor sobre ela. Muito obrigada pela dica! Um forte abraço!

  3. Boa tarde dr,fui diagnósticada com depressão psiticotica grave pela psiquiatra, fui as consultas com psicólogo estão indo bem mais não tenho mais interesse em ir tenho medo de sair de ksa nem estou trabalhando ela me afastou por dois meses ouço vozes vejo pessoas conversando tenho a sensação de está sendo perseguida por alguém uma garota con versa comigo quer ser minha amiga eu converso com ela ,tomo vários remédios mais não consIgor dormi direito quando vou dormi e quase duas da manhã e logo acordo e questão de hrs uma duas ou três hrs de sono ..já estou quase voltando ao trabalho mais estou com medo..será que isso é só depressão mesmo?

    • Olá Cristiane
      Seu quadro é o que vc descreve na primeira linha da sua msg. É preciso tratar desse problema com carinho e dedicação.

  4. Sofri abuso sexual quando tinha 6 anos, durou até meus nove anos. Meu pai me agredia e minha mãe, durante a separação entrou em depressão. Me evitando ao máximo.

    Quando fiz 11 anos, entendi o que ocorreu comigo na minha infância. Então comecei a definhar, lentamente e dolorosamente.

    Depois de quatro anos, agora com 15 anos. Procurei ajuda, na mesma semana em que procurei por ajuda, um antigo amigo de meus pais voltou de viagem, um amigo que de certa forma me viu crescer. Ele tentou ter relações comigo, naquela noite tive um ataque de pânico, juntamente com uma tentativa de sufocamento, vindo de mim mesma, e vozes gritando o quanto sou inútil.

    Contei para meus pais, com auxílio da psicóloga e resolvemos o problema. Esse problema, me senti melhor. Mas, devido á alguns palavras vindas de minha mãe decidi não ir mais para a psicóloga.

    Depois de 6 meses – semana passada – tentei me suicidar, vozes gritavam que era o certo a se fazer. Porém, uma grande amiga, me disse que eu era doente. Então, entendi, eu sou doente.

    Não sei o que eu tenho, peço sua ajuda e apoio. Não pretendo contar aos meus pais sobre o meu passado. Aliás a culpa do que ocorreu foi totalmente minha, eu incentivei cara, eu… Me ajude. Por favor.

    Tenho 15 anos e estou gritando ni vácuo por socorro

    • Prezada Ianu
      Prucure ajuda novamente, e procure não ouvir o que sua mãe diz. Procure um psiquiatra pois isso é sério

  5. Olá, Doutor ! No caso da pessoa que tem depressão psicótica, apresentar tendências suicidas; mas não quer ser internada. Tem outra alternativa ?

    • Sim
      Neste caso, uma internação domiciliar , com parentes e amigos tomando conta do paciente funciona bem. Mas não se deve descuidar do paciente pois ele pode, rapidamente, tentar o suicídio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *