Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Fobias Estranhas e Raras Também Existem

Fobias estranhas costumam causar ainda mais perplexidade que as fobias comuns.

Tem gente que tem pavor de botões. Mas as fobias estranhas e raras não se limitam a ocorrências como estas.

Ainda que sejam estranhas, estas fobias não deixam de ser transtornos de ansiedade, mais especificamente transtornos fóbicos.

fobias estranhas

Veja abaixo a relação de algumas destas fobias:

  • Ablutofobia: medo de tomar banho ou usar qualquer método para se higienizar. Isso pode acarretar prejuízo em qualquer tipo de relação que envolva o contato interpessoal, como trabalho e vida social. Entretanto, é na vida amorosa que ocorre o maior prejuízo,  por motivos óbvios
  • Somniofobia: medo de adormecer e não acordar mais
  • Ergofobia: medo de trabalhar ou do ambiente de trabalho. Pode ser medo de cometer erros ou de interagir com as pessoas, como na fobia social
  • Nomofobia: medo ou esquiva de se comunicar com os outros usando aparelhos eletrônicos – telefone, radio, internet, skype
  • Filofobia: medo de amar, de ter um relacionamento amoroso, da rejeição
  • Heliofobia: medo do sol, dos raios solares. Pessoas com este tipo de fobia evitam a luz solar e só saem de casa à noite
  • Caetofobia: medo de cabelos e pelos do próprio corpo
  • Arquibutinofobia: pavor de certos alimentos, como produtos pastosos ou que tenham casquinhas, devido ao medo de que grudem no céu da boca
  • Afefobia: medo de ser tocado
  • Ecofobia: medo de eletrodomésticos
  • Coulrofobia: pavor de palhaços
  • Decidofobia: medo de tomar decisões
  • Cronofobia: medo do tempo passar. É mais frequente em pessoas idosas
  • Fagofobia: Medo de deglutir e engasgar com os alimentos
  • Cremetofobia: Medo de dinheiro
  • Tripofobia: Medo de buracos

As fobias estranhas, embora curiosas e, por vezes, engraçadas causam sofrimento acentuado nos seus portadores, devendo, por esta razão, serem tratadas adequadamente

É claro que fica difícil de abordar todas as fobias estranhas e raras que se encontram na face da terra. Isso poderia incluir a fobia de botões, de tomadas e outras que a nossa imaginação ainda não alcançou.

É preciso saber ou lembrar que estas fobias são tratadas da mesma maneira que as outras fobias.

Não existem medicamentos psicotrópicos que tenham eficácia no tratamento destas fobias.

terapia comportamental, sobretudo a técnica da exposição é a melhor forma de se tratar as fobias (vide os artigos publicados sobre fobias específicas neste blog).

Importante lembrar que a , isto é, o enfrentamento das situações temidas e evitadas, se dá de uma forma gradual.

Vou exemplificar o que estou dizendo citando a ablutofobia, que é o medo de tomar banho. A pessoa deve começar a se expor comedidamente.

Assim, o primeiro passo pode ser lavar um dos dedos da mão e ir progredindo na lavagem conforme a ansiedade vai diminuindo, até ficar igual a zero. Na progressão da exposição, lavar uma mão, o antebraço, o braço e assim, progredindo aos poucos, para o corpo todo.

Se você precisar de ajuda nas áreas de psiquiatria ou psicoterapia, estarei disponível para atendê-lo em meu consultório. Caso resida em outro local, procure ajuda especializada em sua cidade ou estado.  Infelizmente não é possível fazer consultas pela internet.

 

tito paes de barros neto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *