Tratamento para Transtornos de Ansiedade em São Paulo

Medo e Delírio: O Poder do Pensamento

Qual seria a relação entre medo e delírio?

O medo é um sentimento presente em todos os seres humanos e tem a função de proteger a espécie humana contra contra a sua própria extinção.

Poucos sobreviveriam na face da Terra sem que algum medo estivesse presente.

Ele nos ajuda a ter cautela e a não correr riscos desnecessários, como dirigir em alta velocidade ou atravessar ruas e avenidas sem prestar atenção.

Delírio é uma alteração do conteúdo do pensamento.

Sua característica central é um juízo falso da realidade com a certeza subjetiva de que seu conteúdo seja absolutamente verdadeiro.

Trata-se de uma ideia que NÃO  é compartilhada pelas outras pessoas.

medo e delirioPor exemplo, alguém afirmar que está sendo perseguido por seus colegas de trabalho e  ninguém concordar  com ele.

Aqui a dupla medo e delírio está presente.

O delírio é irredutível pela argumentação lógica.

Em se tratando de medo e delírio, a convicção de seu conteúdo é total e o medo pode ser paralisante.

Em outras palavras, ninguém consegue remover as ideias delirantes de quem estiver delirando.

O medo do  delirante geralmente se dá em temáticas específicas.

Por exemplo, no delírio de perseguição, em  que as pessoas têm medo de que haja pessoas que queiram matá-lo.

No delírio de fim do mundo, o medo também está presente.

medo e delirio

No delírio místico, o medo está ausente (ex: alguém que julga ser um novo Cristo na face da Terra, o terceiro elemento da Santíssima Trindade e o Paráclito).

O mesmo ocorre nos delírios de grandeza e também nos delírios eróticos.

Quando eu estava na residência em psiquiatria, fazendo a minha especialização, atendi um homem que afirmava que a Princesa Diana o amava, e que ela mentia para todos dizendo que amava o Principe Charles.

Ele estava absolutamente convicto do fato.

Tanto é que, ao tentar questioná-lo sobre a sua certeza subjetiva, ele ficou muito irritado, no limite da agressividade e eu percebi que se insistisse naquela forma de abordagem, as coisas iriam se complicar.

Se você gostou deste artigo, então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário e eu prometo que te respondo.

tito paes de barros neto

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *